MELHOR VISUALIZADO EM…

13/outubro/2014

Cindy Leopoldo

Diferentemente do livro impresso, em que cada exemplar de um título é exatamente igual a outro em qualquer livraria que você o compre, a visualização dos e-books varia de acordo com a loja onde você o comprou, o aparelho e o aplicativo que você está usando para lê-los.

Vamos pegar o exemplo de uma edição com áudios e vídeos (enhanced). Se você tiver comprado um e-book enhanced e tiver um iPad (iOS) e um tablet Android, por exemplo, poderá fazer o teste. Abra o aplicativo da livraria em ambos os aparelhos, acesse o e-book em questão e vá comparando cada página. Você não precisará fazer isso em todas as páginas porque logo vai perceber uma grande diferença entre eles: no Android, dificilmente você conseguirá acessar os vídeos e os áudios, mas no iPad é bem provável que eles funcionem normalmente (em geral, as próprias livrarias informam isso aos seus clientes antes da compra). Veja bem, a editora enviou apenas um arquivo para uma loja e essa loja tem apenas um aplicativo de leitura, mas, ainda assim, esse mesmo arquivo apresentará alterações importantes dependendo de onde você o lê. Agora imagine as diferenças na visualização que podem surgir quando você troca não só o sistema, mas também o tamanho e as cores das telas. Não, não é a editora que manda arquivos variados para as lojas, são as lojas que disponibilizam aplicativos de leitura com características diferentes para cada aparelho.

postagem

Outro exemplo para resumir o problema: se você compra o e-book de Faça boa arte, do Neil Gaiman, e decide que vai começar a lê-lo em um aplicativo para iPad, outro dia continua a leitura no seu smartphone Android, depois vai para o e-reader e termina o livro no aplicativo para computador, você experimentou 4 maneiras diferentes de visualização desse e-books. Quando o e-book tem apenas texto, ok, ele se rearranja em cada aparelho, mas, se tem outros elementos (fotos, desenhos, gráficos, tabelas etc.), é fácil perceber as mudanças.

No caso do Faça boa arte, especificamente, o projeto gráfico contempla, entre outras coisas, textos e páginas coloridas (que se perdem em um e-reader com tela em preto e branco) e textos com letras bem pequenas (que dificultam a leitura em telas menores como as de smartphones). Em outras palavras, esse e-book só vai passar a mesma informação estética do impresso se for lido em tablets e por isso você verá em todas as lojas a informação “MELHOR VISUALIZADO EM TABLETS”. Talvez você se pergunte “Por que não tirar as cores e colocar as letras maiores no e-book?”. A resposta é simples: algumas vezes não temos permissão para alterar o projeto gráfico de um título estrangeiro e, outras, o projeto gráfico é fundamental para a compreensão da mensagem do autor. Esse não foi um problema enfrentado apenas pela Intrínseca com esse título, como você poderá verificar caso leia resenhas dos leitores nos sites de livrarias americanas.

As explicações fornecidas nesse texto têm como base as dúvidas apresentadas por leitores que deixaram comentários nos sites das livrarias de e-books brasileiras. Entramos em todos esses sites, lemos todos os comentários deixados em títulos da Intrínseca e tentamos, por meio do site da editora, esclarecer para nossos leitores as decisões que tomamos durante a produção de nossos e-books. Caso existam mais dúvidas, mande um e-mail para ebooks@intrinseca.com.br.